O sol existe…
Mesmo que pareça tão longe
Mesmo que pareça o dia tão escuro
Mesmo que as nuvens o encubram
O sol existe…
Devemos procurar
Mesmo que nos pareça difícil
Mesmo que não consigamos enxergar
Mesmo que as dificuldades tomem
conta das nossas vidas
Mesmo que pareça não haver solução
O sol existe…
E irá brilhar para você um dia
Mesmo que demore um pouco
Mesmo que você feche a janela
e se tranque no seu quarto a chorar
O sol continua a brilhar
e a embelezar a Terra
Não devemos nos preocupar
com as incertezas da vida
Sabemos que existem muitas trovoadas
Mas um dia o sol aparece
Um dia você sorrirá e dirã:
Que lindo dia!
Mesmo que ninguém perceba
Mesmo que você não perceba
O sol brilha para você
A vida está torcendo por você
É só não importar
com as tempestades da vida
ela não vai te derrubar
Se quiser chorar, chore
Se quiser amar, ame
Mas deixe o sol brilhar
acredite no amanhã
sempre existe uma esperança
pra tudo existe um caminho
mesmo que a sua caminhada
seja difícil mais tortuosa
mesmo que tenha muitas pedras
Mesmo que no seu caminho tenha
muitas nuvens negras e tudo esteja
nublado, encoberto
mesmo que você não evja mais o sol
na sua vida
Tenha certeza que ele existe
um dia você o encontrará
e viverá toda a alegria do momento
E dirá para si mesmo
Valeu a pena esperar
O sol existe
A felicidade existe…

(Cristiane Souza Gomes)


Eu nasci meio louquinha
Cresci meio doidinha
E nas loucuras da vida
Aprendi a gostar das coisas belas

Inclui a poesia para refletir
Tentar sumir
Ter o meu mundo

Entre versos e rimas
Aprendi a amar
Ver além da vida
Enxergar não só com os olhos
E sim com o coração

(Cristiane Souza Gomes)


Sim, saudade
de tempos que passaram
de coisas que se foram
dos momentos que jamais
voltarão a existir
novamente…

Saudade
Das horas tristes e alegres
Dos risos, das brincadeiras
Do seu sorriso sincero
Do seu olhar sem maldade
Do carinho, da nossa cumplicidade

Saudade
É uma palavra que explica tudo
Sem compreender direito este aperto
no peito que sentimos
não mais que isso, apenas saudade…

Saudade
É sentir vontade de fazer o tempo voltar
É sentir o desejo de voltar aqueles tempos
voltar a sentir o mesmo sentimento

Saudade
É relembrar o passado
É rir sozinha revendo fotos
É se entregar na imaginação
É reviver os mesmos caminhos
que um dia juntos passamos

Saudade
De repente uma lágrima desliza em meu rosto
Só a saudade e eu
perdida nos meus pensamentos
querendo ficar só
para voltar no tempo e simplesmente
recordar…

(Cristiane Souza Gomes)


Árvores enfeitam os sonhos
dentro de bolinhas coloridas
um sonho de um mundo melhor
mais humano e mais fraterno

Acredito no espírito natalino
Onde devolve a todos a solidariedade
E seguimos com o exemplo
e a humildade do menino Jesus

Que nasceu numa manjedora
E o seu amor maior
salvou o mundo
e nos trouxe a esperança
para os nossos corações

Esperança de dias melhores
onde a paz irá reinar na Terra
onde todos os povos darão as mãos
e unidos cantarão a mesma canção natalina
de amor e paz a todos os homens
de boa vontade.

FELIZ NATAL!!!

(Cristiane Souza Gomes)


Triste realidade

É principio da noite
Os carros passam velozmente
As pessoas caminham apressadas e indiferentes
Todos estão regressando para suas casas
Todos querem se isolar-se nos seus lares
Todos querem o seu canto para se abrigar
Todos?
Em meio a tantas pessoas
Um homem…
Louco? Quem sabe?
Roupas imundas
Caminha indiferente a tudo
Sem ter aonde ir…
Sorri, sorri de quê?
A vida não foi tão calorosa com ele
Será que até Deus o esqueceu?
Olho-o amargamente
Não parece gente
Queria vê-lo asseado, normal, no seu lugar
com um pouco mais de dignidade
Quem será?
Quanto bem já fez?
Quanto mal sofreu?
Quantas decepções viveu?
As pessoas continuam a passar…
Ele senta no chão e fica em silêncio
E em silêncio continuará…
Porque desistiu da vida?
Porque não luta?
Parece que morreu para ele mesmo…
Morreu para todos
porque ninguém o vê
Só estará vivo enquanto eu o olhar
Depois para mim também morrerá
Porque dele também me esquecerei…

(Cristiane Souza Gomes)


Gaveta da Saudade…

No armário da minha vida
Guardei a tua lembrança numa gaveta
Hoje abri, estavas lá…
lá estavas, quietinho
sorrindo o teu sorriso puro
tinhas no olhar
O mesmo desejo de amor e paz

Tua imagem nítida
e teus olhos ternos cheios de luz
senti que não queria te esquecer
então resolvi aprisionar-te
onde só eu abrisse

A fim de quando quisera
Recordar todos os sonhos
que um dia tive
no armário

E assim guardei tua lembrança
numa gaveta
na gaveta da saudade
Hoje abri
e estavas lá…

(Cristiane Souza Gomes)





CONTINUE NAVEGANDO: